Procedimentos

Tratamento da Obesidade – Cirúrgico

Tratamento da Obesidade – Cirúrgico

A obesidade é uma doença crônica não transmissível caracterizada pelo acúmulo excessivo de energia, sob a forma de triglicerídeos, no tecido adiposo distribuído pelo corpo, de tal significado que gera prejuízos à saúde dos indivíduos. Atualmente é considerada um grave problema de saúde pública. 
 
Segundo a Organização Mundial de Saúde (OMS), cujas preconizações também são adotadas pelo Ministério da Saúde, devem ser considerados três níveis para a classificação da obesidade: 
Obesidade grau I: com IMC entre 30 e 34,99 kg/m²
Obesidade grau II: com IMC entre 35 e 39,99 kg/m² 
Obesidade grau III: com IMC entre 40 a 49,99 kg/m²
Super obesidade: superior ou igual a 50,0 kg/m² 
 
Síndrome metabólica (SM): definida pela presença de 3 ou mais critérios abaixo:
 
Quem deve fazer a cirurgia bariátrica
 
– IMC > 40, independentemente da presença de comorbidades (comorbidade patogênica ocorre quando duas ou mais doenças estão etiologicamente relacionadas); 
– IMC entre 35 e 40 na presença de comorbidades;
– IMC entre 30 e 35 na presença de comorbidades que tenham obrigatoriamente a classificação “grave” por um médico especialista na respectiva área da doença. Também obrigatória a constatação de “intratabilidade clínica da obesidade” por um(a) endocrinologista.
 
 * baseado no Primeiro Consenso Bariátrico Brasileiro.
 
 

Benefícios da Cirurgia bariátrica

• 95% dos pacientes operados apresentam satisfação e melhora da qualidade de vida;
• Controle e cura do Diabetes mellitus tipo 2 em 90% dos casos;
• Melhora da hipertensão e dislipidemia (colesterol);
• Redução dos riscos de infarto (IAM) e derrames (AVC);
• Melhora ou cura de outras doenças como tireoidopatia, trombose venosa, embolias, doença do refluxo gastro-esofageano, incontinência urinária de esforço, problemas ósteo-articulares, roncopatia, apnéia do sono, esteatose hepática;
• Melhora da autoestima.

  • Gastroplastia ou Bypass Gástrico em Y de Roux

 Usamos um grampeador que corta e costura o estômago, dividindo-o em dois. Um grande que fica fora do caminho dos alimentos e um pequeno, que recebe de 30 a 50 mL de alimento e é ligado ao intestino. Neste pequeno estômago às vezes pode ser colocado um anel de silicone (Cirurgia de Fobi Capella).

Normalmente colocamos anel quando a cirurgia é realizada por laparotomia (com corte de 15 cm) e fazemos sem anel quando é por laparoscopia (com pequenas incisões). Atualmente é a melhor técnica, sendo a mais usada em todo o mundo. A perda de peso fica entre 30 e 50 % do peso inicial.

 

  • Gastrectomia Vertical (Sleeve)

Essa técnica tem um mecanismo restritivo, sendo confeccionado um tubo gástrico vertical, com volume de cerca de 200 mL.

 

Importância da nutricionista na equipe multidisciplinar 

A cirurgia bariátrica é considerada a ferramenta mais eficaz no tratamento de casos de obesidade severa, trazendo benefícios como a resolução ou a melhora de doenças crônicas, como hipertensão e diabetes. Os riscos deste procedimento não se resumem, porém, ao ato cirúrgico: a limitação da ingestão e da absorção de nutrientes importantes pode levar o paciente a desenvolver deficiências nutricionais, comprometendo os resultados da cirurgia. O papel do nutricionista é, portanto, fundamental, garantindo a reeducação e a suplementação alimentar do paciente, bem como a readequação do seu organismo à nova realidade.
Entenda melhor como se dá a intervenção nutricional na cirurgia bariátrica e os cuidados envolvidos no pré e no pós-operatório. Para isso participe das nossas palestras ENCONTRO VIDA NOVA. 

Nutricionista Michelly Rodrigues Bertin  
CRN SC 1387    
 

Gestação

É extremamente recomendado que mulheres em idade fértil usem métodos anticoncepcionais nos primeiros 18 meses após a cirurgia, afim de evitar danos ao seu próprio corpo e ao feto, em decorrência de carências vitamínicas e minerais.

 
Retorno com cirurgião com
– 7 dias  – 3 meses– 6 meses– 9 meses– 12 meses– 18 meses– anualmente
 
Redes Sociais: